A ARTE DE DAR E RECEBER CONSELHOS!

Descobri em um dos meus últimos estudos que CONSELHO pode se tornar algo tramado...

Isto porque o ideal é aprender a recebê-los E imprescindível não dá-los! 

Pode parecer piada, mas faz todo sentido. Pensem comigo...

Quando recebemos opiniões das outras pessoas, principalmente quando são diferentes das nossas, temos uma tendência a nos sentirmos ofendidos e automaticamente “fechamos as portas” para aquele ponto de vista.

Em uma primeira análise, podemos não perceber e dizer que adoramos feedbacks, mas se pararmos para pensar a fundo sobre isso, perceberemos que não gostamos nada de alguém vir nos dizer o que/como fazer algo.

Atenção! Claro que podemos aprender com outras perspectivas, e aí fica a primeira lição:

Pessoas maduras apreciam conselhos e opinões, porque sabem que têm muito a aprender e que economizam tempo e energia aprendendo com os outros. Estas pessoas, em especial, têm capacidade de “filtrar” o conselho para usar o que é bom e excluir o ruim.

Já em relação a dar conselhos, a lição é bastanteinteressante:

Não dar conselhos é uma maneira simples de evitar desgastes e preservar relações!

A verdade é que todas as pessoas, no fundo, já sabem suas próprias repostas e quando oferecemos opiniões, tiramos o poder dela.

Sim! Devemos evitar ao máximo dar conselhos e quando solicitados, é importante avaliar se o pedido pode ser uma “armadilha” (rsrs), isto porque a maioria das pessoas não estão preparadas para recebê-los e podemos ser considerados ‘o intrometido’.

Se o conselho é imprescindível, vale a pena termos o cuidado de o apresentar como forma de pergunta e não afirmação. Assim, a outra pessoa permanece com o poder em mãos e nós apenas a ajudamos a encontrar suas próprias respostas.

O maior benefício: uma grande probabilidade de preservarmos a boa harmonia das nossas relações!